Recent Posts

Páginas: [1] 2 3 ... 10
1
Hardware e Periféricos / Re:Formatar HD externo protegido por senha?
« Última Mensagem: por druidaobelix Online Hoje às 00:44 »
Então, @joseff,

Mas também pode ser que não seja exatamente isso.
Fui ler o manual do produto e parece que existe, sim, uma alternativa.
Leia a página 24 e 25
Apagar a Unidade
Usar Cinco Senhas Inválidas

O manual em português pode ser encontrado aqui:

https://www.wdc.com/content/dam/wdc/website/downloadable_assets/pbr/user_manual/4779-705155.pdf

Agora estou novamente achando que pode dar certo.  :D
Vai precisar do W 7 ou 8 ou 10.

Interessa especialmente isso:

Citar
Usar cinco senhas inválidas
Caso se esqueça ou perca sua senha, você poderá apagar a unidade digitando cinco senhas
inválidas na caixa de diálogo Desbloquear Unidade. Veja:

•Usando o software WD Security ou WD Drive Utilities
•Com o utilitário WD Drive Unlock

1.Na caixa de diálogo Desbloquear Unidade, faça até cinco tentativas para desbloquear a unidade:
a.Digite uma senha na caixa Senha.
b.Clique em Desbloquear Unidade.

2.Ao introduzir uma senha inválida pela quinta vez, é exibida uma caixa de diálogo informando que ocorreram muitas tentativas de senha, dependendo do aplicativo usado para abrir a caixa de diálogo Desbloquear Unidade:
•   Como usar o software WD Security ou WD Drive Utilities
•   Como usar o utilitário WD Drive Unlock

3.Para apagar sua unidade:
a.Se você estiver usando o software WD Security ou WD Drive Utilities e deseja alterar o nome do volume, digite sobre o nome antigo na caixa Nome do volume.
b.Leia a explicação sobre apagar todos os dados na unidade e selecione a caixa de diálogo Eu compreendo para informar que você aceita o risco e ativar o botão Apagar unidade.
c.Clique em Apagar unidade.

Acesse http://support.wdc.com
e consulte a answer ID 4394 na Base de Conhecimento para obter informações sobre como baixar e restaurar o software WD na unidade.
Observação:
Apagar sua unidade também remove a sua senha. Se ainda deseja usar
uma senha para proteger a unidade, você precisará recriá-la depois de
restaurar o software WD software e a imagem de disco. (Veja
Protegendo a unidade por senha.)
2
Programação e Scripts / Re:Não consigo compilar no Atom
« Última Mensagem: por druidaobelix Online Ontem às 21:30 »
Não consigo compilar nenhum programa de pascal no Atom.
Alguém sabe solucionar o problema?

Saber não sei não, nem tenho o Atom Text Editor instalado e, pior, nunca usei, ou seja, sei nada de nada sobre ele e suas funcionalidades, uma vista rápida na homepage do próprio indica suporte nativo para

Citar
Under the hood
Atom is a desktop application built with HTML, JavaScript, CSS, and Node.js integration. It runs on Electron, a framework for building cross platform apps using web technologies.

Como se vê, Pascal não está lá mencionado.

Porém há nesse link adiante um possível solução, questão de ver:

Pascal language support in Atom

https://atom.io/packages/language-pascal

Daí em diante é com você.  :)

3
Programação e Scripts / Re:Chamar script com ./ ou sh?
« Última Mensagem: por druidaobelix Online Ontem às 21:12 »
Retomando o conversê sobre o bash e o dash, pensando melhor, creio que o de mais relevante que poderia ser dito sobre isso de forma mais imediata e ponto inicial para que tenhamos uma base comum de raciocínio está dito nesse Ubunti-Wiki, inclusive apontando soluções para eventuais problemas, nada obstante o fato de estar em inglês, o que inclui o histórico da questão.

DashAsBinSh

https://wiki.ubuntu.com/DashAsBinSh

4
Hardware e Periféricos / Re:Formatar HD externo protegido por senha?
« Última Mensagem: por druidaobelix Online Ontem às 18:49 »
Obrigado pela força, ja testei todos as dicas, nenhuma funcionou, só falta utilizar o windows xp, vou ver e posto o resultado.

Note que, segundo o fabricante, não vai conseguir em **nenhum** sistema operacional, não é apenas no Linux que não consegue, segundo eles também não conseguirá usando o Windows ou o Mac ou em outros termos, isso aí foi feito com essa específica finalidade.

Estive vendo lá mais detidamente o github do script sobre o qual trabalhamos e numa melhor interpretação parece que também o próprio script segue a regra geral estabelecida pelo fabricante, qual seja, se o disco está "travado" (lock), portanto, criptografado, somente o detentor da passphrase é que pode abrir (unlock) e, por conseguinte, somente aberto é que poderá ser formatado.

Execute o script usando a opção -s que da forma longa é --status (duplo hífen) antes da opção.

Essa trava parece estar no nível do firmware. Como se sabe e qualquer um que já abriu um computador sabe disso, um disco rígido possui, em si, uma placa controladora, que evidentemente possuiu um firmware correspondente, que afinal de contas continua sendo apenas um código de computador, instruções de programa, apenas que residente, e é lá que reside essa instrução de não gravar se o estado for lock (=travado).

Um programa qualquer de formatação ou de gerenciamento de partição manda uma ordem segundo o padrão estabelecido, porém o hardware não obedece, vez que a controladora do disco está instruída para isso. Na essencia é essa a interpretação que no momento faço do fato.

Aqueles relatos que vimos de quem aqui e acolá conseguiu usando esse ou aquele programa é porque tais programas, por uma circunstância puramente casual, encontrou uma brecha nas instruções da controladora, mas veja que se trata de algo casual mesmo.

Se esse raciocínio estiver correto, e parece que está, então se trata de uma situação complexa, porque o firmware é um código proprietário, de rigor ninguém sabe exatamente o que há lá, exceto o próprio fabricante e regravar um firmware pode depender de equipamento especial, dependendo do tipo de memória física utilizada (eeprom, Electrically-Erasable Programmable Read-Only Memory, etc) e ainda que não fosse sempre é e será delicado alterar um firmware sem saber exatamente o que o projetista fez.

Vamos raciocinar se há alguma consistência nisso.

Se é uma partição então a tabela de partições tem que estar gravada na área MBR do disco e, assim, ainda que de forma direta (bypass software específico de formatação) deveria ser possível acessar por um editor hexa direto. Pode não dar para recuperar dados criptografados, pela óbvia razão da inexistência da passphrase, mas simplesmente apagar qualquer coisa que haja lá deveria ser possível.

Supondo que o registro existente nesse disco seja ainda do tipo MBR convencional, como se sabe então ele contém 512 bytes de informação da estrutura do disco, dos quais 446 bytes são reservados para o setor de boot e nos outros 64 bytes está a tabela de partição e os 2 restantes a assinatura.

Caso se faça um dd, que é um comando binário, sobre a área da mbr, zerando o que há lá, então deveria ser possível reescrever a tabela de partições.

Mas segundo a informação que temos o dd zeroes não funcionou!

Também uma formatação de baixo nível (LLF - Low Level Format) deveria resolver a questão e uma ferramenta para isso, no Linux, poderia ser o hdparm, mas como vimos sequer se obtém alguma informação por ele.

Claro que existem outras ferramentas de LLF que podem ser experimentadas, mas se realmente a trava estiver no firmware, então realmente não irá destravar, não irá funcionar.



5
Programação e Scripts / Re:Chamar script com ./ ou sh?
« Última Mensagem: por druidaobelix Online Ontem às 17:21 »
Essa é uma questão que pode ser interessante.

Os resultados são diferentes porque são coisas diferentes, isto é, não se trata do mesmo interpretador num caso e noutro.

Usar dot slash não é necessariamente a mesma coisa que usar sh

dot slash é bash; sh é dash, são, pois, interpretadores de comandos diferentes.

Bash é GNU Bourne-Again Shell

Dash é Debian Almquist Shell

Por primeiro precisamos melhor entender o que seja o ./ (ponto barra), comumente conhecido como dot slash.

O dot slash é essencialmente a execução *local* de um determinado comando, isto é, se está passando ao sistema operacional a informação de que o arquivo a ser executado está exatamente aqui onde foi chamado e não em algum outro ponto da PATH e isso se deve sobremodo a atender razões de segurança de executáveis.

Para não ter que escrever tudo de novo, numa longa dissertação, remeto ao trabalho desse link onde a questão está sobejamente explicada pelo companheiro Elias Praciano.

Por que precisamos usar ./ antes do nome de um script para executá-lo no Linux?

https://elias.praciano.com/2016/01/por-que-precisamos-usar-antes-do-nome-de-um-script-para-executa-lo-no-linux/

Ainda, faça a verificação da shell padrão do sistema fazendo:

Código: [Selecionar]
echo $SHELL
que certamente, no Ubuntu, irá resultar em:

/bin/bash

Estabelecido que dot slash é bash e tendo isso em conta, vamos voltar à questão central que é se tratar de interpretadores de comando diferentes.

É ver que sh é na verdade um link simbólico que remete ao dash, confira fazendo:

Código: [Selecionar]
ls /bin/sh
Depois faça:

Código: [Selecionar]
file /bin/sh
que irá resultar:

/bin/sh: symbolic link to dash

Bem, o fato está aí, a explicação do fato, que é uma questão histórica, vem depois, quando o relóginho do tempo aqui permitir escrever um pouco mais.  :)

6
Sistema / Re:Pasta Pessoal Documentos/Area de Transferência
« Última Mensagem: por druidaobelix Online Ontem às 16:27 »
Abri o terminal, e digitei, ecryptfs-mount-private
Apareceu esta mensagem abaixo:
Enter your login passphrase:
Inserted auth tok with sig [005dee423285d552] into the user session keyring
Talvez tenha feito algo errado no processo, esquecido de algo. Não sei se tenho que recomeçar tudo de novo ?

Ao contrário, parece estar tudo certo, uma vez que fez o comando para montar a pasta "Private" ele está apenas pedindo que coloque a senha para autenticar e poder abrir.

Nesse prompt:

Inserted auth tok with sig [005dee423285d552] into the user session keyring

coloque a senha antes cadastrada, volte na janela do gerenciador de arquivos, click sobre a pasta Private que deve existir lá e ela deverá estar aberta.

Movimente quaisquer arquivos para dentro da pasta Private, vá novamente ao terminal, faça o comando para fechar e verifique se fechou mesmo, se estão de fato protegidos por criptografia.




7
Sistema / Re:Pasta Pessoal Documentos/Area de Transferência
« Última Mensagem: por Banzé Online Ontem às 15:37 »
Bom, vamos lá. Segui a cartilha que você postou. Coloquei a minha senha de e-mail que uso: escort11.

Reiniciei o ubuntu. Apareceu uma janela com esta informação abaixo. E dei OK.

Citar
Informação disponível
Informações da atualização

Gravar sua frase secreta de criptografia

Para criptografar seu diretório pessoal ou a pasta "Private", uma frase secreta forte foi gerada automaticamente. Normalmente seu diretório é desbloqueado com sua senha de usuário, mas se você precisar recuperá-lo manualmente, vai precisar desta frase secreta. Por favor, imprima-a ou escreva-a e armazene-a em um local seguro. Se você clicar em "Executar esta ação agora", digite sua senha de login na solicitação de "Senha" e você poderá exibir sua senha gerada aleatoriamente. Caso contrário, você terá que executar "ecryptfs-unwrap-passphrase" a partir da linha de comando para recuperar e registrar sua frase secreta gerada.

Executar essa ação agora / Fechar

Abri o terminal, e digitei, ecryptfs-mount-private

Apareceu esta mensagem abaixo:

Enter your login passphrase:
Inserted auth tok with sig [005dee423285d552] into the user session keyring


Talvez tenha feito algo errado no processo, esquecido de algo. Não sei se tenho que recomeçar tudo de novo ? :P
8
Instalação e Atualização / Re:Erro ao tentar instalar pacotes (atualizações)
« Última Mensagem: por galactus Online Ontem às 14:27 »
Tá, você mostrou a saída de um comando!

E os outros? Você tentou?

Então tente:

sudo apt-get install --reinstall ubuntu-release-upgrader-core ubuntu-release-upgrader-gtk  update-manager-core  update-notifier-common  update-manager
9
Instalação e Atualização / Re:Erro ao tentar instalar pacotes (atualizações)
« Última Mensagem: por Edmor_t Online Ontem às 13:52 »
O erro é persistente, se apresenta em quase todas as situações:

sudo dpkg --configure -a

dpkg: erro ao processar o pacote ubuntu-release-upgrader-core (--configure):
 O pacote está num mau estado de inconsistência; deve
 reinstala-lo antes de tentar configura-lo.
dpkg: problemas com dependências impedem a configuração de ubuntu-release-upgrader-gtk:
 ubuntu-release-upgrader-gtk depende de ubuntu-release-upgrader-core (= 1:16.04.22); porém:
  Pacote ubuntu-release-upgrader-core não está configurado ainda.

dpkg: erro ao processar o pacote ubuntu-release-upgrader-gtk (--configure):
 problemas de dependência - deixando desconfigurado
dpkg: problemas com dependências impedem a configuração de update-manager-core:
 update-manager-core depende de ubuntu-release-upgrader-core; porém:
  Pacote ubuntu-release-upgrader-core não está configurado ainda.

dpkg: erro ao processar o pacote update-manager-core (--configure):
 problemas de dependência - deixando desconfigurado
dpkg: problemas com dependências impedem o processamento de triggers para update-notifier-common:
 update-notifier-common depende de update-manager-core (>= 1:16.04.6); porém:
  Pacote update-manager-core não está configurado ainda.

dpkg: erro ao processar o pacote update-notifier-common (--configure):
 problemas com dependências - a deixar triggers por processar
dpkg: problemas com dependências impedem a configuração de update-manager:
 update-manager depende de update-manager-core (= 1:16.04.8); porém:
  Pacote update-manager-core não está configurado ainda.
 update-manager depende de ubuntu-release-upgrader-gtk; porém:
  Pacote ubuntu-release-upgrader-gtk não está configurado ainda.

dpkg: erro ao processar o pacote update-manager (--configure):
 problemas de dependência - deixando desconfigurado
Erros foram encontrados durante o processamento de:
 ubuntu-release-upgrader-core
 ubuntu-release-upgrader-gtk
 update-manager-core
 update-notifier-common
 update-manager

PPA's instalados:

$ grep -RoPish "ppa.launchpad.net/[^/]+/[^/ ]+" /etc/apt | sort -u | sed -r 's/\.[^/]+\//:/'

ppa:george-edison55/webp
ppa:i-nex-development-team/stable
ppa:oibaf/graphics-drivers


10
Instalação e Atualização / Re:instalar programas
« Última Mensagem: por druidaobelix Online Ontem às 05:15 »
Parece ser uma questão prosaíca, mas quem possa estar iniciando no mundo Linux e nesse especialmente no Ubuntu, realmente pode existir a dificuldade de entender a mecânica de instalação de programas no sistema operacional.

No Linux programas ou conjunto de programas são usualmente referenciados usando o nome pacotes (=package).

Na interface gráfica existe o Ubuntu Software (= a lojinha de software do Ubuntu), aquele ícone na coluna de ícones com uma maleta e um A ao centro ou ainda acionando o Dash, que é o primeiro ícone da coluna de ícones e na caixa de pesquisa e digitando, sem as aspas "ubuntu software" ou apenas "ubuntu" ou apenas "software" que o ícone aparecerá.

Ainda usando a interface gráfica se pode instalar o Synaptic - Graphical package manager, que é um muito tradicional gerenciador de pacotes. Usando o Ubuntu Software procure na lente de pesquisa por synaptic e mande instalar.

Finalmente, a partir de um janela do terminal se usa o apt (Advanced Packaging Tool) que é o gerenciador de pacotes, na seguinte sintaxe:

Código: [Selecionar]
sudo apt install nome_do_pacote
Por exemplo, se quero instalar o pacote htop então basta fazer:

sudo apt install htop

A forma mais completa de uso é apt-get, que mais ou menos recentemente foi simplificada permitindo usar apenas apt na maioria das circunstâncias, então também se poderia fazer:

sudo apt-get install nome_do_pacote

no exemplo citado:

sudo apt-get install htop

os resultados serão os mesmos e idênticos.

Existem outras possibilidades por linha de comando, como por exemplo o aptitude, mas o apt é opção de escolha do Ubuntu, a distribuição é toda baseada nele.

Na verdade quem faz o trabalho real por debaixo de tudo é um pacote chamado dpkg, que é um comando básico de pacotes Debian, no qual o Ubuntu é baseado, do qual o apt é uma interface mais amigável, mais fácil de trabalhar.

Porém, quando se quer instalar algum pacote encontrado na internet e que está na forma de um arquivo de extensão .deb, então se deve usar diretamente o dpkg na seguinte sintaxe:

Código: [Selecionar]
sudo dpkg --install nome_do_pacote.deb
note o duplo hífen antes do --install

também pode ser simplificado dessa forma:

Código: [Selecionar]
sudo dpkg -i nome_do_pacote.deb
nesse caso hífen simples antes o -i

Existe uma vasta literatura aí pela internet tratando desse tema, facilmente encontrável através do google.

Como um simples exemplo:

Ubuntu Linux: gerenciando pacotes com o apt-get

https://canaltech.com.br/linux/ubuntu-linux-gerenciando-pacotes-com-o-apt-get/

Análise contextual entre o Apt-get, Dpkg e Aptitude

http://www.ubuntudicas.com.br/2015/06/apt-get-dpkg-e-aptitude/

Como instalar aplicativos no Ubuntu, da linha de comando

https://elias.praciano.com/2015/02/como-instalar-aplicativos-no-ubuntu-da-linha-de-comando/

Mas como dito, vários e vários outros poderão melhor esclarecer e detalhar ainda mais o tema.
Páginas: [1] 2 3 ... 10