Autor Tópico: O fim do Gnome clássico/Fallback  (Lida 26028 vezes)

Offline Glauco Hass

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 416
    • Ver perfil
Re: O fim do Gnome clássico/Fallback
« Resposta #30 Online: 04 de Fevereiro de 2013, 01:56 »
Eu tenho usado o Mate no Ubuntu 12.10 e a diferença é ridícula. Mesmo com um i7 de 8 núcleos a 3.40GHz e 8GB de RAM, a diferença de desempenho é muito grande. No meu notebook, um antigo DualCore, a diferença é simplesmente poder usá-lo.
Todo mês eu tento usar o Unity, na esperança de que as atualizações mudem alguma coisa, mas não aguento 2 dias. É simplesmente a pior coisa que eu já vi, nesses 9 anos com o Ubuntu. A usabilidade é irritante, o desempenho é uma lástima e parece que o destino dele é esse mesmo, reinventar a roda, sem necessidade, nem competência.
Já as promessas pro Gnome Shell 3.8 parecem bacanas, estou curioso para testar. O fim do Fallback, nesse caso, realmente parece ser a melhor opção. Nada das novas propostas do Gnome se encaixam naturalmente na versão clássica, sempre foi preciso fazer uma série de ajustes, o que desencadeava uma bela lista de bugs e um esforço para corrigi-los que não era recompensado. Tanto que o pessoal do Mate tem conseguido mostrar um ótimo trabalho, pois é o seu objetivo principal, não um remendo. Acho que o grupo do Gnome tomou a melhor decisão.

Offline Sergio Benjamim

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 2.902
    • Ver perfil
Re: O fim do Gnome clássico/Fallback
« Resposta #31 Online: 05 de Fevereiro de 2013, 01:11 »
Eu tenho usado o Mate no Ubuntu 12.10 e a diferença é ridícula. Mesmo com um i7 de 8 núcleos a 3.40GHz e 8GB de RAM, a diferença de desempenho é muito grande. No meu notebook, um antigo DualCore, a diferença é simplesmente poder usá-lo.
Todo mês eu tento usar o Unity, na esperança de que as atualizações mudem alguma coisa, mas não aguento 2 dias. É simplesmente a pior coisa que eu já vi, nesses 9 anos com o Ubuntu. A usabilidade é irritante, o desempenho é uma lástima e parece que o destino dele é esse mesmo, reinventar a roda, sem necessidade, nem competência.
Já as promessas pro Gnome Shell 3.8 parecem bacanas, estou curioso para testar. O fim do Fallback, nesse caso, realmente parece ser a melhor opção. Nada das novas propostas do Gnome se encaixam naturalmente na versão clássica, sempre foi preciso fazer uma série de ajustes, o que desencadeava uma bela lista de bugs e um esforço para corrigi-los que não era recompensado. Tanto que o pessoal do Mate tem conseguido mostrar um ótimo trabalho, pois é o seu objetivo principal, não um remendo. Acho que o grupo do Gnome tomou a melhor decisão.

Tenho hardware Intel, então não tenho do que reclamar do desempenho do Unity. Gosto da busca dele, acesso todos aplicativos rapidamente pelo teclado. Mas do 12.10 em diante está um martírio usar o Unity, ele depende muito da internet, vc vai buscar as coisas nele e é muito lento. Tem muita coisa para ser melhorada ainda... os filtros de categorias simplesmente não fazem sentido, do jeito que está implementado. Poderia ter um jeito mais simples de acessar os programas, como o tradicional menu.
É novo no Ubuntu? Já leu o Ubuntu – Guia do Iniciante 2.0 ?
Experimente o Xubuntu 14.04 !

Offline haereticus

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 975
  • Xubuntu 12.04.2 x64
    • Ver perfil
Re: O fim do Gnome clássico/Fallback
« Resposta #32 Online: 21 de Fevereiro de 2013, 16:32 »
Eu tenho usado o Mate no Ubuntu 12.10 e a diferença é ridícula. Mesmo com um i7 de 8 núcleos a 3.40GHz e 8GB de RAM, a diferença de desempenho é muito grande. No meu notebook, um antigo DualCore, a diferença é simplesmente poder usá-lo.
Todo mês eu tento usar o Unity, na esperança de que as atualizações mudem alguma coisa, mas não aguento 2 dias. É simplesmente a pior coisa que eu já vi, nesses 9 anos com o Ubuntu. A usabilidade é irritante, o desempenho é uma lástima e parece que o destino dele é esse mesmo, reinventar a roda, sem necessidade, nem competência.
Já as promessas pro Gnome Shell 3.8 parecem bacanas, estou curioso para testar. O fim do Fallback, nesse caso, realmente parece ser a melhor opção. Nada das novas propostas do Gnome se encaixam naturalmente na versão clássica, sempre foi preciso fazer uma série de ajustes, o que desencadeava uma bela lista de bugs e um esforço para corrigi-los que não era recompensado. Tanto que o pessoal do Mate tem conseguido mostrar um ótimo trabalho, pois é o seu objetivo principal, não um remendo. Acho que o grupo do Gnome tomou a melhor decisão.

Tenho hardware Intel, então não tenho do que reclamar do desempenho do Unity. Gosto da busca dele, acesso todos aplicativos rapidamente pelo teclado. Mas do 12.10 em diante está um martírio usar o Unity, ele depende muito da internet, vc vai buscar as coisas nele e é muito lento. Tem muita coisa para ser melhorada ainda... os filtros de categorias simplesmente não fazem sentido, do jeito que está implementado. Poderia ter um jeito mais simples de acessar os programas, como o tradicional menu.

Acho que o unity só ficará bom para uso dentro de alguns anos, talvez na próxima LTS teremos surpresas.
Notebook: Samsung 305E4A-BD1 - AMD A6-3420M (Quad Core) @2.4GHz - Radeon™ 6520G 512MB - 8GB - HD 500GB - 14” LED HD - HDMI - Bluetooth - Webcam 1.3 HD - Base CoolerMaster Notepal Ergostand - Mouse X7 Oscar 750bk 3200dpi.

Sony Xperia L - Android 4.1.2

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: O fim do Gnome clássico/Fallback
« Resposta #33 Online: 21 de Fevereiro de 2013, 16:52 »
Acho que o unity só ficará bom para uso dentro de alguns anos, talvez na próxima LTS teremos surpresas.

No 12.04 estava muito bom, só migrei pro LM13 KDE porque andei tendo problemas ridículos com o GNOME (a partir do qual o Unity foi feito).
Estou esperando o lançamento do 13.04 pra testar a versão GNOME Remix. Vamos ver se os problemas serão corrigidos.

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: O fim do Gnome clássico/Fallback
« Resposta #34 Online: 21 de Fevereiro de 2013, 16:53 »
Prevejo mais um fork... rsrs  ;D

Bah... Faz tempo que já existe, e se chama MATE.

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: O fim do Gnome clássico/Fallback
« Resposta #35 Online: 21 de Fevereiro de 2013, 16:54 »
Eu tenho usado o Mate no Ubuntu 12.10 e a diferença é ridícula. Mesmo com um i7 de 8 núcleos a 3.40GHz e 8GB de RAM, a diferença de desempenho é muito grande. No meu notebook, um antigo DualCore, a diferença é simplesmente poder usá-lo.
Todo mês eu tento usar o Unity, na esperança de que as atualizações mudem alguma coisa, mas não aguento 2 dias. É simplesmente a pior coisa que eu já vi, nesses 9 anos com o Ubuntu. A usabilidade é irritante, o desempenho é uma lástima e parece que o destino dele é esse mesmo, reinventar a roda, sem necessidade, nem competência.
Já as promessas pro Gnome Shell 3.8 parecem bacanas, estou curioso para testar. O fim do Fallback, nesse caso, realmente parece ser a melhor opção. Nada das novas propostas do Gnome se encaixam naturalmente na versão clássica, sempre foi preciso fazer uma série de ajustes, o que desencadeava uma bela lista de bugs e um esforço para corrigi-los que não era recompensado. Tanto que o pessoal do Mate tem conseguido mostrar um ótimo trabalho, pois é o seu objetivo principal, não um remendo. Acho que o grupo do Gnome tomou a melhor decisão.

Bom... Acho o Ubuntu 12.10 super pesadaço mesmo. Vamos ver como fica o 13.04.
« Última modificação: 21 de Fevereiro de 2013, 17:09 por eliseu_carvalho »

Offline haereticus

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 975
  • Xubuntu 12.04.2 x64
    • Ver perfil
Re: O fim do Gnome clássico/Fallback
« Resposta #36 Online: 21 de Fevereiro de 2013, 17:24 »
Eu tenho usado o Mate no Ubuntu 12.10 e a diferença é ridícula. Mesmo com um i7 de 8 núcleos a 3.40GHz e 8GB de RAM, a diferença de desempenho é muito grande. No meu notebook, um antigo DualCore, a diferença é simplesmente poder usá-lo.
Todo mês eu tento usar o Unity, na esperança de que as atualizações mudem alguma coisa, mas não aguento 2 dias. É simplesmente a pior coisa que eu já vi, nesses 9 anos com o Ubuntu. A usabilidade é irritante, o desempenho é uma lástima e parece que o destino dele é esse mesmo, reinventar a roda, sem necessidade, nem competência.
Já as promessas pro Gnome Shell 3.8 parecem bacanas, estou curioso para testar. O fim do Fallback, nesse caso, realmente parece ser a melhor opção. Nada das novas propostas do Gnome se encaixam naturalmente na versão clássica, sempre foi preciso fazer uma série de ajustes, o que desencadeava uma bela lista de bugs e um esforço para corrigi-los que não era recompensado. Tanto que o pessoal do Mate tem conseguido mostrar um ótimo trabalho, pois é o seu objetivo principal, não um remendo. Acho que o grupo do Gnome tomou a melhor decisão.

Bom... Acho o Ubuntu 12.10 super pesadaço mesmo. Vamos ver como fica o 13.04.

É verdade, inclusive o unity também é pesado. Eu mudei o ambiente gráfico em minhas duas máquinas e estou tendo um bom potencial de uso da máquina.
Notebook: Samsung 305E4A-BD1 - AMD A6-3420M (Quad Core) @2.4GHz - Radeon™ 6520G 512MB - 8GB - HD 500GB - 14” LED HD - HDMI - Bluetooth - Webcam 1.3 HD - Base CoolerMaster Notepal Ergostand - Mouse X7 Oscar 750bk 3200dpi.

Sony Xperia L - Android 4.1.2