Autor Tópico: Minha chegada ao Ubuntu (e ao Fórum)!  (Lida 2361 vezes)

Furlabuntu

  • Visitante
Minha chegada ao Ubuntu (e ao Fórum)!
« Online: 17 de Julho de 2009, 21:30 »
Olá a todos!

Esta é a minha primeira mensagem no fórum, e vou contar como me tornei um Ubuntuísta.

Bem, eu era um usuário Windows padrão, nada de mais. Um dia peguei um CD do Kurumin GNU/Linux para testar; tinha ouvido algumas coisas sobre o Linux. Eu acho que devia ser alguma das primeiras versões do Kurumin. Legal! Mas achei que não havia nenhuma grande vantagem sobre o Windows (isso já faz uns anos). De vez em quando eu pegava um versão mais recente do Kurumin e dava um boot, só por curiosidade.

Já havia lido muito sobre o Linux, suas vantagens técnicas e o poder de customização que o usuário tinha sobre o sistema. Decidi que tinha que aprender um pouco mais sobre Linux. Passando em frente à Banca de Revistas avistei um revista que vinha com os CDs do Slackware 10.1. Comprei, cheguei em casa, formatei o PC e o instalei em dual boot com o Windows.

Usando o Slackware (ou tentando usar) aprendi muito; coisas básicas como: o Terminal (e o incrível Bash), o Sistema de Arquivos, o Kernel, a pasta proc (uma pasta que não existe de verdade?, isso é algo muito estranho para um usuário Windows), enfim, todo o básico e um pouco do intermediário.

Continuei usando o Slackware como sistema secundário, em uma partição de 5 GB. Tempos difíceis aqueles. O Softmodem do meu antigo PC nunca chegou a funcionar em um sistema Linux. De vez em quando eu instalava um nova versão do Slack, só para descontrair. Com o Slackware 12 eu passei a usar o sistema um pouco mais, pegando alguns pacotes do LinuxPackages.net e do Slacky.eu. Com uma boa pesquisa na internet eu conseguia fazer as coisas funcionarem e contornava eventuais problemas.

Falei tanto de Linux para dois colegas na Faculdade que hoje ele são mais Linuxístas do que eu.

Cheguei a ver o CD do Ubuntu algumas vezes, mas pensei "Linux Africano? Pelo amor de Deus!". Passei um tempo usando o Mandriva, não sei foi um caso específico com o meu Hardware, mas o danado tinha raros momentos de estabilidade. No começo do ano um Amigo me disse: "Instalei o Ubuntu, depois de configurado ele fica uma beleza!".

Instalei o Ubuntu no começo do ano (agora já é um tempo diferente: tenho um Computador Decente e Banda Larga). Depois dos primeiros conflitos com o Ubuntu já sou um Ubuntuísta. Ainda tenho o Windows instalado, tem algumas coisas que ainda não encontrei no Linux, como por exemplo, um equivalente ao UltraISO: um programa que trabalhe com todos os formatos mais bizarros de Imagem de CD: UIF, BIN/CUE, NRG e mais uns que aparecem por aí; de cada 72 horas de Linux eu ligo o Windows uns 15 minutos.

Problemas com o Ubuntu?

Durante o primeiro minuto de funcionamento do Jaunty, logo após a abertura do GNOME, o cursor ficava doidão, clicando pra lá e pra cá de modo aleatório. Achei a solução somente em inglês: uma pequena linha no  /boot/grub/menu.lst.

Quase todo o meu Hardware funcionou, só tive que procurar um módulo para a Webcam (microdia).

Mas o que realmente é um saco é a tal da Placa de Vídeo Intel (i915). Entre uma atualização e outra ela perde o desempenho, e é necessário mais e mais ajustes para que ela funcione mais ou menos bem. Sinceramente, ainda acho que o minha placa de vídeo tem um desempenho melhor no Windows do que no Linux, mas esta é a minha única crítica.

Quanto ao Windows, sempre o achei campeão de usabilidade, e SÓ. Quando há um problema grave no Windows somente há uma solução: formatar.
Mas o que é mais crítico (e o que convence alguns usuários a instalarem o Linux) é o perigo na navegação, principalmente com o IE. Neste triste cenário, a Web é um mundo perigoso, onde a cada clique existe o perigo de um Malware acabar com o seu sistema. Com o Ubuntu + Firefox não tem erro, sou um clicador maníaco, clico em tudo o que vejo na frente!

Quanto à adoção do Ubuntu em massa, acho que isso é um um trabalho em duas partes.

Primeiro devemos ter um bom número de Usuários Alfa (??). São os usuários mais avançados que geralmente dão suporte informal a um grande número de amigos e familiares. Mesmo com o Windows, conheço dezenas e dezenas de pessoas que não conseguem fazer algo simples no sistema, que sempre tem um empurrãozinho de um Usuário Alfa, seja para acabar com algum problema ou para indicar algum programa. Agora se a pessoa não conhece ninguém que saiba usar o Linux, por que ele vai usar. Eu sei que você pode procurar ajuda na Web, mas não há como usuários extremamente leigos (Botão Power?, Driver? Aquele jogo do Playstation) conseguirem ajuda o tempo todo para os pequenos problemas, até porque, eles não conseguem fornecer informações precisas para se obter um diagnóstico do problema.

Acho que o Ubuntu ainda não está preparado para o Usuário Final (Usuário realmente Final: Médico, Advogado, Tia, Avó... ) não só por aspectos técnicos mas por alguns aspectos culturais. Mas analisando sua curva de evolução, acho que chegaremos lá muito em breve!

Desculpem pelo texto exaustivamente longo, mas se você chegou até o final, obrigado pela leitura!

Offline Tota

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 14.982
    • Ver perfil
Re: Minha chegada ao Ubuntu (e ao Fórum)!
« Resposta #1 Online: 17 de Julho de 2009, 21:47 »
Seja bem vindo ao forum

[],s

Offline Adriano R.N.

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 1.095
    • Ver perfil
Re: Minha chegada ao Ubuntu (e ao Fórum)!
« Resposta #2 Online: 23 de Julho de 2009, 20:33 »
Furlabuntu, boa noite!

Seja bem vindo.
Amigo instalei um windows para dois vizinhos, em um mês as máquinas estavam lentas por conta dos vírus. Eles voltaram com um “ar acusador” e queriam uma solução.
Como são iniciantes em informática e usuários msn/orkut, pedi que testassem o Ubuntu. Fiz  instalações muito "parrudas", com uma série de programas, codecs e plugins. (Muitos mesmos)
Faz meses que eles estão com o sistema instalado e usando-o diariamente. Raramente me perguntam alguma coisa e um deles já tem começado a pesquisar por conta própria.
Sei que é pouco, no entanto, são usuários muito básicos que compraram a ideia/proposta de usar  GNU/Linux e estão gostando.
Penso que estamos muito mais próximos de usuários comuns do que imaginamos, nosso dilema é superar os vícios do windows e preconceitos contra GNU/Linux.

Boa sorte e Muito AXÉ!!!
Boa sorte e Muito AXÉ!!!