Autor Tópico: Uma distro quase perfeita!  (Lida 33673 vezes)

Offline Turritopsis nutricula

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 102
    • Ver perfil
Uma distro quase perfeita!
« Online: 20 de Janeiro de 2014, 17:36 »
Pois é... desde quando surgiram os PPA, alguns sites oficiais disponibilizaram pacotes DEB para o Ubuntu o sistema está quase próximo da praticidade. Não há mais problema com dependências como as distros mais puristas.

O que falta são: Drivers melhores, programas que comecem a competir de fato com Photoshop, Suporte total a bluetooh e facilidade pra instalar e atualizar programas e updates offline. O pessoal do software livre criou até um Windows Update offline, licenciado pela GPL. Se eu não me engano se chama wsus offline. Não entendo porque os caras do software livre não fazem isso para o Ubuntu. Até os sites de programas portáteis para o Linux está muito desatualizado em comparação ao portable.apps que tem softwares livres portáteis para Windows. O pessoal do Pidgin cria um instalador windows offline para o Pidgin mais recente, mas o pessoal do Linux não tem essa facilidade.
« Última modificação: 21 de Janeiro de 2014, 21:53 por Turritopsis nutricula »

Offline jeflui

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 745
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #1 Online: 20 de Janeiro de 2014, 23:07 »
Apt-Cacher ou Apt-Mirror.

Offline rihoem

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 123
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #2 Online: 11 de Fevereiro de 2014, 12:06 »
Pois é... desde quando surgiram os PPA, alguns sites oficiais disponibilizaram pacotes DEB para o Ubuntu o sistema está quase próximo da praticidade. Não há mais problema com dependências como as distros mais puristas.

O que falta são: Drivers melhores, programas que comecem a competir de fato com Photoshop, Suporte total a bluetooh e facilidade pra instalar e atualizar programas e updates offline. O pessoal do software livre criou até um Windows Update offline, licenciado pela GPL. Se eu não me engano se chama wsus offline. Não entendo porque os caras do software livre não fazem isso para o Ubuntu. Até os sites de programas portáteis para o Linux está muito desatualizado em comparação ao portable.apps que tem softwares livres portáteis para Windows. O pessoal do Pidgin cria um instalador windows offline para o Pidgin mais recente, mas o pessoal do Linux não tem essa facilidade.

No Linux é meio que "tradição" os projetos disponibilizarem o código-fonte, e as distribuições compilam para os seus usuários, modificando algumas opções de acordo com os 'ideais' daquele grupo. Obviamente, é a própria distribuição que fica encarregada de compilar e disponibilizar atualizações.

É um assunto polêmico, com argumentos favoráveis e contrários muito bons. Este modelo atual permite programas enxutos, pois muitos aplicativos compartilham dependências e há economia de espaço em disco. Por outro lado, inviabiliza que o pacote feito para uma distro seja instalado em outra com 100% de garantia. Já no caso do windows, cada programa vem com suas dependências, o que gera multiplicidade de arquivos parecidos e maior uso de HD.

Muita gente defende uma padronização no sistema de pacotes e dependências, ou mesmo esse sistema offline, mas é difícil de alcançar isso em todas as distros. Qualquer um que não concorde pode fazer uma distribuição nos moldes tradicionais (fugindo de alguma padronização) e fica tudo fragmentado de novo.

O jeito é procurar distribuições que tendem a trazer atualizações mais frequentes, e compilar por conta própria os programas mais simples (acredite, não é tão difícil assim).

Offline Renan Rischiotto

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 2.888
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #3 Online: 11 de Fevereiro de 2014, 16:45 »
Citar
O jeito é procurar distribuições que tendem a trazer atualizações mais frequentes, e compilar por conta própria os programas mais simples

Manjaro  ;D

Offline Turritopsis nutricula

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 102
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #4 Online: 12 de Fevereiro de 2014, 13:55 »
Citar
O jeito é procurar distribuições que tendem a trazer atualizações mais frequentes, e compilar por conta própria os programas mais simples

Manjaro  ;D
Só Coelho pra usar distro em fase beta no dia a dia. O conversor de pacote DEB para ser compatível no Manjaro é imperfeito. O melhor mesmo é usar pacote nativo.
A maioria dos sites tem programas compatíveis com Debian e algumas vezes Fedora.

Offline jkmsjq

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 3.343
  • Ubuntu Member
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #5 Online: 12 de Fevereiro de 2014, 17:13 »
[...]
Só Coelho pra usar distro em fase beta no dia a dia. [...]

Só para encurtar a conversa: pode-se utilizar os repositórios Stable do Manjaro e este problema está resolvido.
LinuxUser: 548942 / Dando um tópico como resolvido
"A verdade só é agressiva a quem vive de mentiras". Autor desconhecido.
Twitter: @jeisonkertesz

Offline Arthur Bernardes

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 4.692
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #6 Online: 12 de Fevereiro de 2014, 17:14 »
Usar sistemas em versões Beta o cara tem que ter tempo, rsrs! Por favor, não me atirem pedras!

Offline Renan Rischiotto

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 2.888
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #7 Online: 12 de Fevereiro de 2014, 17:30 »
[...]
Só Coelho pra usar distro em fase beta no dia a dia. [...]

Só para encurtar a conversa: pode-se utilizar os repositórios Stable do Manjaro e este problema está resolvido.

Na verdade o Manjaro já vem com o repositório Stable por padrão.

Offline Turritopsis nutricula

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 102
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #8 Online: 17 de Fevereiro de 2014, 10:59 »
Citar
O jeito é procurar distribuições que tendem a trazer atualizações mais frequentes, e compilar por conta própria os programas mais simples

Manjaro  ;D

Tava testando esses dias o Manjaro e vejam só: Eles não tem uma ferramenta pra construir uma snapshot do teu sistema pra instalar em um pendrive como live usb ou em outra máquina do ponto onde você parou. Onde está a praticidade? Pra mim o Ubuntu matou todas as distros. Só não mata do Debian porque precisa dos códigos fontes pra sua base.

Nunca vi nada mais fácil que as ferramentas do Ubuntu. Remastersys, Garfio, Remaster(fork do Remastersys) com apenas um botão você salva usa iso com os programas que você instalou e todos os updates que você fez na máquina.

Beleza então. No dia que o Fedora, Manjaro for mais fácil que o Ubuntu e que os sites disponibilizem pacotes nativos para eles de programas como gerenciador de Token da OAB aí quem sabe eu use. Nem o programa alien serve pra a maioria dos pacotes rpm virarem deb.

Até pro Debian sites do governo brasileiro disponibilizam programas que não podem ficar nos repositórios do Debian e Ubuntu.

Offline rihoem

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 123
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #9 Online: 17 de Fevereiro de 2014, 14:07 »
Citar
O jeito é procurar distribuições que tendem a trazer atualizações mais frequentes, e compilar por conta própria os programas mais simples

Manjaro  ;D

Tava testando esses dias o Manjaro e vejam só: Eles não tem uma ferramenta pra construir uma snapshot do teu sistema pra instalar em um pendrive como live usb ou em outra máquina do ponto onde você parou. Onde está a praticidade? Pra mim o Ubuntu matou todas as distros. Só não mata do Debian porque precisa dos códigos fontes pra sua base.

Nunca vi nada mais fácil que as ferramentas do Ubuntu. Remastersys, Garfio, Remaster(fork do Remastersys) com apenas um botão você salva usa iso com os programas que você instalou e todos os updates que você fez na máquina.

Beleza então. No dia que o Fedora, Manjaro for mais fácil que o Ubuntu e que os sites disponibilizem pacotes nativos para eles de programas como gerenciador de Token da OAB aí quem sabe eu use. Nem o programa alien serve pra a maioria dos pacotes rpm virarem deb.

Até pro Debian sites do governo brasileiro disponibilizam programas que não podem ficar nos repositórios do Debian e Ubuntu.

Acho que esse recurso é específico demais para ser tão importante numa discussão como essa. O ubuntu, seguindo a filosofia do gnome, trás programas simples e diretos para configuração do sistema e utilitários. Mas a maioria desses aplicativos são de projetos de terceiros. Bastaria uma distribuição incluir todos esses pacotes e você teria um ubuntu-like. Em outras palavras, não há algo exclusivo da canonical para o ubuntu, apesar de isso não ser necessariamente ruim. O único problema que isso gera é que, apesar de todas as facilidades gráficas, há muitos momentos (muitos mesmo) em que o usuáro precisa botar a mão na massa e digitar comandos num terminal para resolver algum problema ou adicionar algum recurso. Nos repositórios do ubuntu há aplicativos que complementam e diminuem essas situações, mas a instalação padrão do ubuntu não se compara à de um Suse ou Mandriva, por exemplo, que possuem centros de configuração bem mais completos. Mas, nesse caso, um usuário leigo provavelmente se perderia no mar de opções, do mesmo jeito que se perderia no painel de controle do windows, por exemplo. Aí já é questão de filosofia: oferecer um pacote básico, simples e acessível, confiando no próprio sistema para evitar problemas de configuração (ubuntu), ou oferecer um sistema igualmente capaz de evitar problemas, mas que ainda assim oferece as ferramentas para o usuário fuçar (suse).

Offline Turritopsis nutricula

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 102
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #10 Online: 17 de Fevereiro de 2014, 18:05 »
Citar
O jeito é procurar distribuições que tendem a trazer atualizações mais frequentes, e compilar por conta própria os programas mais simples

Manjaro  ;D

Tava testando esses dias o Manjaro e vejam só: Eles não tem uma ferramenta pra construir uma snapshot do teu sistema pra instalar em um pendrive como live usb ou em outra máquina do ponto onde você parou. Onde está a praticidade? Pra mim o Ubuntu matou todas as distros. Só não mata do Debian porque precisa dos códigos fontes pra sua base.

Nunca vi nada mais fácil que as ferramentas do Ubuntu. Remastersys, Garfio, Remaster(fork do Remastersys) com apenas um botão você salva usa iso com os programas que você instalou e todos os updates que você fez na máquina.

Beleza então. No dia que o Fedora, Manjaro for mais fácil que o Ubuntu e que os sites disponibilizem pacotes nativos para eles de programas como gerenciador de Token da OAB aí quem sabe eu use. Nem o programa alien serve pra a maioria dos pacotes rpm virarem deb.

Até pro Debian sites do governo brasileiro disponibilizam programas que não podem ficar nos repositórios do Debian e Ubuntu.

Acho que esse recurso é específico demais para ser tão importante numa discussão como essa. O ubuntu, seguindo a filosofia do gnome, trás programas simples e diretos para configuração do sistema e utilitários. Mas a maioria desses aplicativos são de projetos de terceiros. Bastaria uma distribuição incluir todos esses pacotes e você teria um ubuntu-like. Em outras palavras, não há algo exclusivo da canonical para o ubuntu, apesar de isso não ser necessariamente ruim. O único problema que isso gera é que, apesar de todas as facilidades gráficas, há muitos momentos (muitos mesmo) em que o usuáro precisa botar a mão na massa e digitar comandos num terminal para resolver algum problema ou adicionar algum recurso. Nos repositórios do ubuntu há aplicativos que complementam e diminuem essas situações, mas a instalação padrão do ubuntu não se compara à de um Suse ou Mandriva, por exemplo, que possuem centros de configuração bem mais completos. Mas, nesse caso, um usuário leigo provavelmente se perderia no mar de opções, do mesmo jeito que se perderia no painel de controle do windows, por exemplo. Aí já é questão de filosofia: oferecer um pacote básico, simples e acessível, confiando no próprio sistema para evitar problemas de configuração (ubuntu), ou oferecer um sistema igualmente capaz de evitar problemas, mas que ainda assim oferece as ferramentas para o usuário fuçar (suse).
Nunca precisei digitar comando nenhum no terminal. Estou pensando em seriamente remover ele da distro...

Offline rihoem

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 123
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #11 Online: 17 de Fevereiro de 2014, 18:08 »
Citar
O jeito é procurar distribuições que tendem a trazer atualizações mais frequentes, e compilar por conta própria os programas mais simples

Manjaro  ;D

Tava testando esses dias o Manjaro e vejam só: Eles não tem uma ferramenta pra construir uma snapshot do teu sistema pra instalar em um pendrive como live usb ou em outra máquina do ponto onde você parou. Onde está a praticidade? Pra mim o Ubuntu matou todas as distros. Só não mata do Debian porque precisa dos códigos fontes pra sua base.

Nunca vi nada mais fácil que as ferramentas do Ubuntu. Remastersys, Garfio, Remaster(fork do Remastersys) com apenas um botão você salva usa iso com os programas que você instalou e todos os updates que você fez na máquina.

Beleza então. No dia que o Fedora, Manjaro for mais fácil que o Ubuntu e que os sites disponibilizem pacotes nativos para eles de programas como gerenciador de Token da OAB aí quem sabe eu use. Nem o programa alien serve pra a maioria dos pacotes rpm virarem deb.

Até pro Debian sites do governo brasileiro disponibilizam programas que não podem ficar nos repositórios do Debian e Ubuntu.

Acho que esse recurso é específico demais para ser tão importante numa discussão como essa. O ubuntu, seguindo a filosofia do gnome, trás programas simples e diretos para configuração do sistema e utilitários. Mas a maioria desses aplicativos são de projetos de terceiros. Bastaria uma distribuição incluir todos esses pacotes e você teria um ubuntu-like. Em outras palavras, não há algo exclusivo da canonical para o ubuntu, apesar de isso não ser necessariamente ruim. O único problema que isso gera é que, apesar de todas as facilidades gráficas, há muitos momentos (muitos mesmo) em que o usuáro precisa botar a mão na massa e digitar comandos num terminal para resolver algum problema ou adicionar algum recurso. Nos repositórios do ubuntu há aplicativos que complementam e diminuem essas situações, mas a instalação padrão do ubuntu não se compara à de um Suse ou Mandriva, por exemplo, que possuem centros de configuração bem mais completos. Mas, nesse caso, um usuário leigo provavelmente se perderia no mar de opções, do mesmo jeito que se perderia no painel de controle do windows, por exemplo. Aí já é questão de filosofia: oferecer um pacote básico, simples e acessível, confiando no próprio sistema para evitar problemas de configuração (ubuntu), ou oferecer um sistema igualmente capaz de evitar problemas, mas que ainda assim oferece as ferramentas para o usuário fuçar (suse).
Nunca precisei digitar comando nenhum no terminal. Estou pensando em seriamente remover ele da distro...

Sorte sua, mas basta ver em qualquer tópico de ajuda aqui no fórum, que geralmente o primeiro pedido é o usuário postar o resultado dos comandos 'lspci' e 'lsusb'...

Offline nomade

  • O negócio não tem alma
  • Equipe Ubuntu
  • Usuário Ubuntu
  • *****
  • Mensagens: 1.186
  • O negócio não tem alma
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #12 Online: 17 de Fevereiro de 2014, 18:21 »
Usar sistemas em versões Beta o cara tem que ter tempo, rsrs! Por favor, não me atirem pedras!
Sem dúvidas cara. Versão Beta é para entusiastas, é para aprender a solucionar bugs. É para quem gosta de quebra cabeças. Não se deve usar versão Beta se não quer resolver problemas.
Debian 11 Bullseye KDE + Kernel Liquorix

Offline Tota

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 14.982
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #13 Online: 17 de Fevereiro de 2014, 18:34 »
Sorte sua, mas basta ver em qualquer tópico de ajuda aqui no fórum, que geralmente o primeiro pedido é o usuário postar o resultado dos comandos 'lspci' e 'lsusb'...

Olá,

Num forum de suporte de qualquer sistema, devem ser pedidos comandos para se identificar e diagnosticar o problema.

Sendo assim, pedir lsusb, lspci, dmesg, hwinfo, lsmod, etc, é normal e necessário.

Se não existe problema na maquina, o que levaria uma pessoa vir aqui pedir ajuda?

Eu tenho tudo Intel, logo tudo funciona de primeira, pois utilizo placas e periféricos de primeira linha. Com isto as chances de algo não funcionar é pequena.

Mac, hp, lenovo, asus, dell, etc não dão muito trabalho, geralmente bluetooth e placa wifi, ou novas tecnologias como video hibrido.

Offline nomade

  • O negócio não tem alma
  • Equipe Ubuntu
  • Usuário Ubuntu
  • *****
  • Mensagens: 1.186
  • O negócio não tem alma
    • Ver perfil
Re: Uma distro quase perfeita!
« Resposta #14 Online: 17 de Fevereiro de 2014, 18:58 »
Sorte sua, mas basta ver em qualquer tópico de ajuda aqui no fórum, que geralmente o primeiro pedido é o usuário postar o resultado dos comandos 'lspci' e 'lsusb'...

Olá,

Num forum de suporte de qualquer sistema, devem ser pedidos comandos para se identificar e diagnosticar o problema.

Sendo assim, pedir lsusb, lspci, dmesg, hwinfo, lsmod, etc, é normal e necessário.

Se não existe problema na maquina, o que levaria uma pessoa vir aqui pedir ajuda?

Eu tenho tudo Intel, logo tudo funciona de primeira, pois utilizo placas e periféricos de primeira linha. Com isto as chances de algo não funcionar é pequena.

Mac, hp, lenovo, asus, dell, etc não dão muito trabalho, geralmente bluetooth e placa wifi, ou novas tecnologias como video hibrido.

Sinceramente, nunca peguei nada da AMD que me desse dores de cabeça. Nem as VGAs, que na maioria das vezes as pessoas tem problemas com os requisitos, tipo kernel-source e header. Eu já fui fanboy da intel, mas depois da série FX da AMD que é bem proporcional a série core "i" da intel, comparando o preço... passei a achar a intel um tanto insensata com o valor de seus produtos. (opinião pessoal, respeito a intel, sua qualidade e colaboração na comunidade GNU/Linux)
Debian 11 Bullseye KDE + Kernel Liquorix